Seguidores

sábado, 26 de junho de 2010

MaTéRiA jOvEm - Namoro com Limetes "Parte 01/03"


Texto: Gláucio Montes / Geração JC





Namoro com Limites, por que não?


Parte A



Queridos, esta matéria está dividida em TRÊS partes neste blog para melhor compreensão do assunto. Esta é a parte 01/03, espero estar postando a parte 02/03 logo, logo.

Diante de uma geração que banaliza o amor e vulgariza o sexo, entendam quais são os limites do namoro cristão e comprove que dizer “Não” determina seu futuro.

Ele te olha de um jeito todo especial. Ela é a mais linda de todas as moças da igreja. Ele é respeitador, trabalha e estuda muito para ser alguém na vida. Ela, além de independente, é carinhosa e seus pais a cercam de todo o cuidado. “São feitos um para o outro”, os dois acreditam. Namorar é conseqüência de tantas afinidades e, com o passar do tempo, eles descobrem que se completam. Cada vez que se encontram, o clima esquenta. São beijos e abraços que revelam que a atração e o desejo entre eles só aumentam. Então, pensam eles, para que esperar até o casamento para consumar todo esse amor?

Mesmo que não seja explícita, essa é uma das perguntas mais comuns entre os casais cristãos. Contemporâneos de um mundo que banaliza o amor e o sexo, muitos jovens se sentem encurralados quando o assunto é pureza sexual. A praticidade em casar e descasar é tanta que compromisso “até que a morte os separe” é deixado de lado para ser meramente um contrato civil. A dificuldade para se manter relacionamentos é tanta que a grande aposta de hoje é a fase da conquista, ou o famoso “ficar”. Em São Paulo, por exemplo, alguns profissionais especializados na área oferecem cursos de sedução e paquera para todos os tipos de pessoas – desde o mais tímido até o que deseja melhorar a “performance”. Nessa educação, o que vale é quantidade e não a qualidade dos relacionamentos.
E diante de toda essa campanha a favor do liberalismo sexual, onde está a garotada cristã? Infelizmente, com os hormônios em ebulição associados a falta de ensinamento bíblico, muitos deles cedem às pressões do sexo. Segundo a revista Enfoque Gospel de novembro de 2007 (edição 76), uma pesquisa do Ministério Lar Cristão revelou que 52% entre 5 mil adolescentes entrevistados – de mais de 20 denominações e, que foram criados na igreja, já tiveram relações sexuais. Realizado entre 1994 e 2000, o estudo constatou ainda que metade desse percentual tem vida sexual ativa com um ou mais parceiros. E ainda 17% das adolescentes haviam ficado grávida pelo menos uma vez e quatro de cada 100 optaram pelo aborto.


No ideal cristão, o casal permanece em santidade até a hora certa: o casamento. Entretanto, pastor Josué Brandão, da AD em Feira de Santana (BA), alerta para a infiltração da impureza no relacionamento pré-conjugal. “Em Provérbios 30.18-19, o sábio diz que uma das coisas mais maravilhosas aos seus olhos é ‘o caminho de um homem com uma donzela’. Em nossos dias, a pureza está sendo minimizada, inclusive dentro da igreja, sob a alegação de que o jovem do século 21 não pode mais se reprimido em seus ‘estímulos naturais’ como foi no passado, sob pena de ficar frustrado e neurótico. É em virtude de tanta permissividade, inédito, ‘espetacular’ e raro um relacionamento sem nenhuma poluição imoral”, assevera o líder.



Continua. . .
Próximo tema:
Namoro com limites "Parte B",
Efeitos Devastadores

Fonte: Essa é a matéria da capa da revista Geração JC / Ano VIII - nº 64.

2 comentários:

Ana disse...

Primooo, matéria ótima pra galerinha com os hormônios em ebulição...rsrsrs...

Beeijo...

Juninho disse...

Verdade prima rsrs a galera teen tem que se concientizar e cair na real!

bjus